Crônica da aldeia global

Uma festa diferente

Algo de novo podemos fazer acontecer. Festejar é bom. Pena que nem todos possam se sentir em clima de festa devido aos tropeços da vida. E como há tropeços neste

TSE e a tartaruga

1717 Ou será uma cabeça de avestruz? E os ministros julgando, sua excelência daqui, minha excelência dali e aquela conversa demorada, cheia de argumentos vazios, envolvendo interesses que nem conseguimos

Aprendendo com a vida

  No dia a dia, além das imagens e das versões. Fatos contraditórios, versões inexplicáveis, e a história vai acontecendo e sendo escrita, uma explicação aqui, uma opinião ali, sem

Salários, privilégios e fome

Não pensar com sotaques. A realidade é a nossa. Alegria! Viva o futebol, e viva o Palmeiras e outros times de futebol… Mas não dá pra cantar vivas à estrutura

O ocaso dos imortais

Viver, alegrar-se, a banda está passando tocando coisa de amor. Tanta fama, tanto glamour, como um raio que corta os ares, as vidas vão passando, do nascimento à  velhice, ou

Balas perdidas

Reflexões sobre violências banais e o medo social. Mortes violentas e guerras urbanas nos assustam. Morrem muitos marginais, muitos bandidos, muitos policiais, muitos cidadãos comuns, pais de família ou jovens

Odebrecht, um sobrenome envergonhado.

Bilhões de dólares comprando pessoas e corrompendo sistemas. O poder e o dinheiro que abrem portas, mobilizam pessoas e parceiros, imobilizam oposições, conseguem adesões imprevisíveis de opositores, compram apoios, decisões,

O Brasil que geme

O país é muito mais que o egoísmo e a ganância de muitos de nós. As consequências de nossos desvarios ameaçam-nos a todos. Milhões (2,5) de crianças e adolescentes fora

Seres humanos: Convivência ou guerra?

Valorizar a nova vida surgida da Páscoa. “O sepulcro vazio, os lençóis caídos e o sudário dobrado são os sinais que Jesus deixou para trás.” Ele venceu a morte! Festejamos,

Em busca da imortalidade

Imortal eu? Não, seria muito cansativo.   Acompanhar o que acontece no mundo todos os dias nos faz pensar e nos assusta… Pesquisas evoluem e nos anunciam que podermos viver