País que se preza tem malha ferroviária à altura de sua produção, afirma Marquezelli

País que se preza tem malha ferroviária à altura de sua produção, afirma Marquezelli

Marquezelli: “No mundo todo commodities em grandes quantidades usam ferrovias.”

A utilização da malha ferroviária brasileira aumentou em 2017, em comparação a 2016. Segundo o deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), foi a produção agrícola que estimulou o uso das ferrovias. No ano passado, o Brasil atingiu um recorde nos grãos produzidos, o que poderá se repetir em 2018.

“O mercado acionou o transporte ferroviário. No mundo todo é assim, commodities em grandes quantidades usam ferrovias. Então, o país que se preza tem o transporte ferroviário à altura da produção”, avaliou.

Em 2017, a quantidade de soja movimenta pelas ferrovias aumentou em 32% em relação a 2016, transportando 30 milhões de toneladas do produto. A movimentação do milho aumentou 75%, com o transporte de 18 milhões de toneladas.

“A ferrovia exige um transporte de cargas mais pesado, em grande quantidade. É o que está acontecendo com a soja, que está impulsionando a malha ferroviária, porque precisa de mais trens e mais vagões”, analisou Marquezelli.

Em entrevista à coluna Vaivém das Commodities, do jornal Folha de S. Paulo, o diretor-executivo da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), Fernando Paes, explicou que o ganho na capacidade de transporte das empresas ferroviárias no Brasil ocorre devido a duplicações, obras de contornos e investimentos em tecnologia.

“Uma mesma composição hoje pode rodar com um número maior de vagões, ganhando capacidade. Além disso, algumas empresas reduziram o intervalo entre as viagens dos trens”, informou o diretor-executivo.

 

Category Brasil, Política

Multimag Comments

We love comments
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *