Piracema é prejudicada pelo baixo nível do Rio Mogi Guaçu em Pirassununga

Piracema é prejudicada pelo baixo nível do Rio Mogi Guaçu em Pirassununga

 

A reprodução de peixes no rio Mogi Guaçu está em risco pelo baixo nível da água, em Pirassununga.

Em dezembro, começou a época da Piracema, quando os peixes nadam rio acima e ultrapassam a barragem de Cachoeira de Emas para a desova.

Embora a época da procriação vá até fevereiro, o período do fim de dezembro e o mês de janeiro são considerados o pico da reprodução dos peixes, mas eles não estão conseguindo nadar até o local da desova por causa do baixo volume de água, devido à falta de chuva.

Segundo o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação dos Peixes Continentais (CEPTA), o nível do Rio Mogi Guaçu está, pelo menos, um metro abaixo do normal para a época.

 

Volume de chuvas

No mês de dezembro, choveu 30,8 milímetros em Pirassununga, 7 milímetros a menos do que no mesmo mês do ano passado.

A chuva também foi pouca no Sul de Minas Gerais, onde o rio Mogi Guaçu nasce. “O importante é chover na cabeceira do rio, enchendo a caixa d’água do rio lá, essa água desce com força e os cardumes conseguem subir para fazer a reprodução”, explicou o coordenador do CEPTA, Antonio Lucas.

 

Berçário

O Rio Mogi Guaçu é um dos principais berçários de peixes de água doce do estado de São Paulo. São 116 espécies, 14 delas ameaçadas de extinção.

Se o volume de chuvas continuar baixo, a reprodução será afetada, alerta o CEPTA.

“Vai ser uma perda de uma prole que teremos, se esses peixes não conseguirem subir, reproduzir e produzir os filhotes, nós perderemos uma geração”, afirmou Lucas.

 

Fonte: EPTV/G1

Multimag Comments

We love comments
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *