Reunião esclarece dúvidas do moradores do Residencial Santa Clara

Reunião esclarece dúvidas do moradores do Residencial Santa Clara

Na noite da última quarta-feira do mês de setembro (27), a sede do Projeto Sócio-Educativo “Cuidando do Amanhã”, na Vila Santa Fé, recepcionou mutuários do conjunto habitacional do Jardim Santa Clara, novo bairro que compõe a Vila Santa Fé, organizado pelo Departamento de Habitação da Prefeitura Municipal, em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Nesta oportunidade, representantes do banco, o gerente-geral da CEF, Nelson Carlos Pereira Silva e a supervisora Nathália Rissoni Baptistella relataram uma série de acontecimentos que poderiam constituir em irregularidades e culminar, inclusive, com casos de atrasos e inadimplência das prestações mensais. O gerente fez uma explanação geral sobre o programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, mantido pelo governo federal; e a supervisora demonstrou como funciona o sistema de pagamentos e reiterou a importância do pagamento mensal em dia, e também, pediu para que não se faça mudanças na estrutura do imóvel, o que acarretaria em irregularidades.

“As famílias que tiverem problemas financeiros devem procurar, imediatamente pela Caixa Econômica Federal para que o agente de financiamento deste residencial possa encaminhar uma possível solução”, reiterou o gerente-geral Nelson Pereira Silva, que complementou: “Vamos analisar cada caso individualmente e, dependendo de cada caso, podemos fazer um novo parcelamento”.

Em relação a irregularidades nos imóveis, seja os gerados pela construção ou mesmo após a entrega do imóvel, o banco também solicita que seja encaminhado os problemas para serem analisados. “As famílias devem consultar o Manual do Proprietário, seja para problemas de rachaduras ou mesmo alguma modificação no imóvel”, adiantou a supervisora, Nathália Baptistella.

Dos 385 moradores do Jardim Santa Clara, 124 famílias estiveram presentes. Além dos problemas com os imóveis e casos de inadimplências, outras dúvidas também foram relatadas, como vendas e locações – que não são permitidos -, desocupação ou ocupação de terceiros, além de atividades comerciais junto ao residencial, que também, são ilegais, segundo o contrato estabelecido pelo programa.

“Quaisquer pendências e denúncias serão acatadas e analisadas pela Caixa Econômica Federal, que serão devidamente apuradas pelo banco. Os casos que envolvem ocupação irregular, o Departamento de Habitação faz as devidas apurações através de assistentes sociais, cujo trabalho é diário”, reitera o diretor do departamento, Hubiratan Jesus Penteado (DeHab).

Category Cidades, Pirassununga

Multimag Comments

We love comments
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *